Confronto e equilíbrio....





Às vezes somos radicais, obstinados e teimosos com as mínimas coisas. Achamos o máximo declarar: "Eu nasci assim,vou morrer assim e ponto final;quem não estiver satisfeito,que se exploda! Jamais mudarei meu ponto de vista: ainda não nasceu alguém para me dominar".
Cabeçudas, orgulhosas, arrogantes e egoístas: esses somos nós! Por outro lado,em uma situação que exige de nós pulso firme e "atitude",a gente se omite,se cala,tememos dizer NÃO e transferimos à outra pessoa a responsabilidade que no caso é nossa.
Sentimos medo, insegurança e não raro nos mantemos alheios para evitar qualquer tipo de confronto.Vamos aos extremos em poucos minutos: Somos 8 ou 80 - Tudo ou nada! Por que é tão difícil encontrar o equilíbrio? Saber dizer SIM e NÃO na hora certa, obedecer ao bom senso, retroceder se necessário...É preciso ousar, reconhecer que errou, avançar , arriscar, podar o nosso galho "podre" que tem nos impedido de crescer e dar bom fruto. A poda dói, mas sem ela a árvore perece. E precisamos amadurecer !!

2 comentários:

KOTTA disse...

Como tudo na vida tem que haver um certo equilíbrio e coragem para reconhecer os nossos erros. Bjos

Rosemildo Sales Furtado disse...

É amiga, além de cabeçudos, orgulhosos, arrogantes e egoístas, existe algo que não citaste: a covardia. É muito fácil para o ser humano dizer: eu sou isso, sou aquilo, faço isso, faço aquilo, só que, na hora do pega pra capar, na hora do ser ou não ser, a covardia aparece com toda sua intensidade, a ponto de levá-lo a situações altamente constrangedoras. É preciso podar o galho podre sim, porém, como dói, a covardia prevalece.

Beijos,

Furtado.